[+18] Fotógrafo Japonês nos mostra o que não queremos ver

http://frrrkguys.com/fotografo-japones-nos-mostra-tudo-aquilo-que-nao-queremos-ver/

Nem preciso dizer que gostei muito né?

É uma espécie de Diane Arbus muito fuleiro e sem graça. Achei desinteressante.

Tem gente q usa a fotografia para chocar: meninos com pistolas nas maos, gente deformada e doente, mulheres menstruadas e coisas do tipo…

Um coisa mais foto-jornalistica como crianças fumando crack ou ou cheirando cola ainda vai, mas isso aih eh forçar a barra. Mostrar o comum, como mulheres de meia-idade e de beleza “normal” em ensaios sensuais eh legal, mas isso aih parece coisa de freak show do inicio do seculo passado. Retrocesso total!!!

“O fotógrafo japonês e budista Manabu Yamanaka já enxerga nesses corpos poesia para a sua obra.”
Gostei não.
Me lembrou uns circos, que viajavam expondo coisas bizarras.
Já vi fotos de Sebastião Salgado mostrando miséria muito maior e com muito mais sensibilidade.
O retrato dele:

Queria ver se ele fosse como os fotografados, se deixaria outro fazer “poesia” com as deformidades dele.
NMHO ele não busca a solidariedade com o sofrimento.
Apenas se aproveita dele.
Preferia pisar num prego enferrujado, do que entrar numa galeria com fotos assim. :slight_smile:

Conhecidos como Freak Shows, ou shows de horror.

Essas fotos são porcarias puras! Sem intuito maior! Apenas servem para alimentar a curiosidade de algumas mentes doentias!

Ridículo e dispensável!

Tenho uma resistência com fotos de miséria…inclusive as do Sebastião Salgado…sou uma “poliana” que só vê beleza e riqueza??..não…mas só acho correto… a miséria e/ou deformidade retratada se for pra uma campanha sem fim lucrativos e/ou pra arrecadar fundos e ou ainda como denuncia jornalistica…agora pra fotografo fazer nome é outra coisa…e acho sacanagem mesmo…especialmente porque não admitem a finalidade comercial…e isso me incomoda muito.

Aliás se era pra ajudar …sei lá… ajudar a quebrar o receio que algumas pessoas tem dessas deformidades…(ou “denuncia social” no caso dos “retirantes” do S. Salgado) …não bastava a foto???..não poderia ser sem autoria???..pq esse e outros fotógrafos renomados que fazem esse tipo de foto…aparentemente altruísta…nunca abrem mão da divulgação da autoria???

Se falassem com clareza que o que fazem é negócio, visando lucro e renome comercialmente (como qualquer outra foto) eu não criticaria… pois deixaria de ser hipócrita…agora é um tal de papinho de poesia, beleza, olhar o “excluído”…tudo com forte pitadas do mais “puro altruísmo”…mas com o nome dos caras lá… bem grandão na capa…é muita cara de pau.

[b]

Gostei não…

[/b]

:aua: :aua: e se acha… exploradores de desgraça alheia… >:(

2x…

:assobi:

Engraçado, aqui não tem moderação né kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk :aua: :aua: :aua: :aua: :aua: :aua:

hauahauahuaahauahuaauaua… Quem postou eh “boa praça”. Persona non grata, somos nós! :ok:

“Tah com nós ou nao tah com nós???!!!”

Baiano, Tropa de Elite 1.

Claro… é sempre assim. Mas eu não estou nem aí eu estou aqui para quebrar as regras… e claro lidar com crianças…

Nossa, a galera aqui é bem mais conservadora do que pensava.

Encima das fotos eu jogo algumas questões pra vocês. O que tem lá são fotos de pessoas deficientes e com outros problemas, e que vocês julgam como um freak show, mas NINGUÉM aqui enxergou elas como seres humanos. NINGUÉM entendeu aquelas fotos como algo que é NATURAL apesar de ser trágico, ok, é a leitura de vocês, mas aí pergunto… um deficiente físico não tem direito de expor seu corpo, ou pior, um corpo com deficiência não pode ser dotado de beleza, erotismo ou até mesmo de uma imagem pornográfica? E não tô falando de uma tentativa de se parecer “comum” (pois muitos são pessoas normais como eu e você aí que tá lendo isso, só que portadores de outras eficiências e problemas) e sim de ser o que se é. Apesar das deformações (que foi o que todos enxergaram, e parece que só enxergaram elas), os modelos (que aparentemente tem a razão no lugar) estão hiper a vontade com sua exposição para a câmera, e em alguns casos, sorrindo felizes.

Independentemente de ser esteticamente agradável, é belo, pois transforma, provoca, e o pior (ou o melhor), revela uma série de preconceitos e idéias tidos como naturais da alma de muitos humanos.

Abaixo vai um texto que peguei no site dele. Traduzi uma parte no language tools e fui tentando arrumar com meu inglês imbromation. Quem quiser corrigir ou acessar o original, o link é http://www.ask.ne.jp/~yamanaka/jyoudo-e.html

Jyoudo - (A casa de um Bodhisattva, ou santo budista)

Eu sempre pensei que as pessoas deste mundo que nascem com deformidades, ou que perdem a liberdade de movimento em acidentes e contratempos, estivesse vivendo uma vida de sofrimento contínuo, talvez devido a más ações numa vida anterior, ou porque são pateticamente infelizes.

Em uma casa de repouso eu conheci uma menina. Ela era só pele e ossos, quase não respirava quando ela se deitava. Ela nasceu assim, e que o devemos aprender com isso? Para entender o significado de suas existências, decidi fotografá-las.

Pessoas que gradualmente se tornam menores à medida que o corpo gasta toda a sua água. Pessoas cujos corpos apodrecem em cascas até a pele saltar, transformando-se em figuras inchadas e vermelhas. Pessoas cujas cabeças expandem gradualmente a partir de água que dentro dela se acumulam. Pessoas com partes de suas mãos ou pés invulgarmente grandes.

Eu conheci e fotografei muitas pessoas assim, viver com aflições que não são explicáveis​​, e para quem a cura é dito ser impossível.

No entanto, mesmo nesse estado, quando olhei para deles, sem servilismo, eu vi como é natural e verdadeira a vida de cada um deles. Eu vim para sentir a presença de Bodhisattva dentro de seus corpos. Essas pessoas eram a encarnação Bodhisattva, o filho de Deus.

Pelo menos a minha opinião não tem nada a ver com conservadorismo. Não acho as fotos esteticamente interessantes e a ideia já é batida.

O Fato é que ele ganha DINHEIRO E FAMA expondo essas deformidades.
Ninguém está negando a humanidade por trás das deformidades.
Poucas pessoas se sentiriam a vontade sendo fotografadas quando estão acordando.

A humanidade está vinculada, também, a um senso de privacidade e respeito.

Não é difícil convencer um mendigo sem dentes a ficar diante de uma câmera.
Todo mundo aqui sabe disso.
A questão, para mim, é se é ÉTICO fazer isso, por uma boa foto.

Eu não faço.
Não gosto de quem faz.
Simples assim.
:\

Isso é uma questão de ponto de vista. Ele ganha fama e dinheiro fotografando seres humanos, como muito fotógrafo profissional artista ou até mesmo fotojornalista. A nacional geography ganha dinheiro expondo culturas que nem sabem direito o que é dinheiro, e por vezes de uma forma antropológica nada adequeada.

Fora que o trabalho dele tem uma questão conceitual forte com a filosofia budista. O cara não fez fama pegando umas velhinhas e fotografando elas nuas, o cara fez fama trabalhando fotografia durante 25 anos com uma linguagem própria e absurdamente coesa com a trajetória artística dele,e os conceitos que ele se propos a trabalhar e não com um iphone + instagram fotografando o mendigo sem dente em troca de uma bombinha de cachaça.

A questão é enxergar além do óbvio. A primeira vista uma Nan Goldwin é uma louca que não se preocupa com técnica e fotografou gays e mulheres agredidas, casais transando enquanto o filho brinca na mesma cama, mas só depois de uma vista mais apurada que se entende o grau de humanidade e afeto das fotos (ou não).

Acho super ético, e se fosse do tipo de fotografia que gosto estaria fazendo sem medo (pior é quando o negócio é aparentemente ético, mas no fim o fotógrafo só tá se aproveitando mesmo, como acontece muito com a área de cultura popular e indigena)

P.S.: Moderação, sugiro mover o tópico para área de arte fotográfica, acho uma discussão mais pertinente de se acontecer lá do que aqui

Filosofia budista é uma coisa legal de se falar e parece muito bonita.
Até que você vê os ataques budistas no Sri Lanka.
Budismo é muito bom onde não há nada, alem do budismo e poeira.
Vide o Nepal.
Eu sou ocidental e não tenho nenhum problema com Armani e Ferrari. :slight_smile:

Pobreza é pobreza, miséria é miséria e sofrimento é sofrimento.
Ele pode ser budista, mas não é deformado.
Se ele se deformar e passar a fazer auto-retratos, aí vamos entender a posição dele.
No dos outros, sempre foi refresco. :slight_smile:

Arte vem justamente pra provocar, pra problematizar, e são culturas diferentes com olhares diferentes. Deu uma lida no site dele na galeria com as fotos de crianças? Pobreza é pobreza, mas pra algumas culturas, o fato de ser pobre por opção é algo nobre (até a nossa cultura ocidental e popular tem isso, ter cara de pobre é considerado bonito quando a pessoa tem dinheiro, pois aparentemente deixa a pessoa mais “humilde”). Miséria quase encaro como pobreza. Sofrimento é sofrimento, mas em diversas culturas o sofrimento vai desde a danação eterna ao prazer absoluto, independentemente de ser ocidental ou não (Jesus foi crucificado e todo mundo acha lindo).

Beleza importante, mas muita gente esquece que beleza e estética também são formas de criação conhecimento. Não trata de ser belo e agradável, e sim de levar esse olhar pra outro horizonte, sem deixar de ser ocidental, oriental ou um gremlin

Mostrei isso para dois amigos “deformados” eles amaram. Não acho que ele ser ou não deformado influencia no resultado final, fora que existe uma aceitação por parte dos fotografados e dos responsáveis por eles no registro, sendo assim, a obra é colaborativa. E pelo que vi no site dele, acho muito dificil ele ter ganho muito dinheiro com as fotos e pelo site, acho que ele tá pouco se preocupando com status (o site parece uma página do finado geocities o.o)