Colecionadores de histórias de quem troca as palavras

Sábado à noite, ninguém merece assistir show do Roberto Carlos na TV. Menos ainda Zorra Total, mas ZT não vem ao caso ou vem, não sei.

Eu tentei convencer o Rodrigo de que era um programão, romântico à beça, ainda mais comigo de costas para a TV pesquisando a vida do Aelton Freitas, um político mineiro.

Foi então que encontrei uma frase no site dele que fechou meu sábado com chave de ouro: “A reunião serviu para que ambos deixassem as
rugas
no passado”. E eu que pensava que ruga é uma coisa do futuro, porque no passado eu não tive nenhuma.
http://www2.camara.gov.br/aeltonfreitas/site/noticias/aelton-freitas-e-anderson-adauto-resgatam-alianca-politica

Vocês devem estar se perguntando: “Por que uma frase tão tola, até ingênua não fosse as denúncias de corrupção dos dois envolvidos, fechou meu sábado com chave de ouro?”

Pois bem, explico: Eu e um amigo amiguíssimo nos divertimos horrores com essas histórias de palavras trocadas, isso virou uma mania tão maluca que a gente passou a colecionar essas histórias e eu comecei até a trocar as palavras também e sem perceber muitas vezes.

Então, novamente vocês devem estar se perguntando: “- Mas o que que eu tenho a ver com isso?”

Nada, obviamente. Mas aqui é a sala do papo furado, especialidade de quem não tem nada de útil de pra dizer, mas tem a necessidade de dizer alguma coisa.

Pois bem, chega de diz-que-me-diz, de lero-lero e diz aí: você conhece alguma história dessas pra me/nos contar?

Vou começar com algumas:

  • Um rapaz vai visitar o amigo e lá conhece a avó dele de 95 anos. Sem saber bem o que dizer, ele solta essa: “- Nossa, como a sua avó está
    nítida
    ainda né”.

  • Uma amiga, um pouco avoada, conheceu um rapaz todo educado que dizem as más línguas não existe mais, aquele que puxa a cadeira para ela sentar, que abre a porta do carro, que liga no dia seguinte, que manda flores e faz poesiaa. Toda eufórica, ela veio me contar todas as virtudes que ele tinha e disse: "- Ele não existe, você precisa conhecer, é um verdadeiro
    thendman
    .

  • Essa é minha, cometi algumas também. Perto da data de tirar a carte de séjour, um documento de permanência de estrangeiros na França, eu disse ao Rodrigo e a uma amiga sem pensar: "- Não posso perder a data senão serei
    extraviada
    ". Eles olharam para mim, eles se entreolharam e um silêncio imperou para, só em seguida, cairmos na gargalhada.

  • Eu também já escrevi pra alguém: "- Nessa eu vesti a
    carapuça
    ". Ai que vergonha! (isso se eu não escrevi com dois R, porque vivo trocando)

  • O professor, atolado de trabalho e corrigindo provas enquanto os alunos faziam as atividades, é interpelado por uma aluna da quarta série: "- Professor, o que é mesmo um
    hímen
    ". Ele respondeu sem titubear: “- Ora bolas, eu já ensinei isso, é aquele tracinho que separa as palavras guarda-chuva, couve-flor e que agora não se usa mais em algumas palavras” e completou com um sermão: “- Vê se presta atenção da próxima vez hein”.

  • Um colega, que estava fazendo reformas na casa, me disse: “- Vou construir um poço
    cartesiano
    na minha casa”. Eu respondi, com cara de poço, digo de tacho: “Ah é…”

  • Essa eu presenciei, aliás todos os meus colegas da graduação presenciaram. Uma colega do curso, uma moça até ingênua diria, estava compenetrada na aula de História Antiga quando a professora começou a discorrer sobre Xenofonte, um escritor grego e discípulo de Sócrates que viveu uns 400 a.C. Logo que a professora terminou a frase, ela levantou a mão e disse timidamente: “- Professora, esse tal de
    Xenofonte
    tem alguma coisa a ver com aquela outra, a tal da
    Xenofobia
    ?” A professora pensou um segundo e respondeu: “De certa forma sim, ambos tem relação com estrageiro”. Alguém da sala, com pensamento mais rápido, de cara sacou a piada e soltou uma gargalhada, seguida de um coro de risos. No calor da hora ri também, mas é verdade que foi meio constrangedor. Tem horas que é melhor ficar quieta e acho que ela aprendeu isso da pior forma possível.

Bem, tem várias, mas não lembro agora, a memória está falhando, deve ser por causa das
rusgas
.

“assistir ao show do Roberto Carlos”.
Se é pra rir dessas pérolas, que pelo menos escreva certo.

Vestir a carapuça está correto, devia ter escrito carapaça.

Tem outra ótima que lembrei agora.

  • O sujeito estava com a corda no pescoço. Já tinha cumprido quase oito anos de um curso superior de quatro. Não terminasse naquele ano exato, ele seria desligado da universidade. Desesperado e numa conversa ao telefone com a mãe que mora no interior, ele disse: “- Mãe, não sei mais o que fazer, não conta pro pai, mas se eu não terminar o curso esse ano vou ser
    bajulado
    , não tem outro jeito”.
    Legal né, você fica 8 anos fazendo um curso que nunca termina, às custas do pai numa outra cidade e ainda é bajulado. Eita que coisa boa!

Hahahahahahahaha!!! Eu tenho várias dessas! :hysterical: :hysterical:

Na época de escola, duas amigas viviam juntas e uma terceira colega uma vez soltou no corredor: “Essas duas ficam tanto tempo juntas que devem ser estrábicas!” :dizzy_face: :ponder:
Eu pensei um pouco sem entender nada e perguntei: “Como assim estrábicas?!?!”. Resposta: “É tipo essas mulheres que namoram com mulheres.” :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:

Uma de minhas cunhadas é especialista em pérolas. Numa dessas, depois de meu irmão ter comprado uma Ford Ranger top de linha com sei lá quantos air-bags, ela disse que ele tinha feito um absurdo. “A caminhonete é muito cara. Vai ser difícil de revender. Tem até albergue!” Caí na gargalhada e fiquei zoando: “Imagina como deve ser juntar um montão de sem tetos na caçamba antes de sair pela cidade…”
:hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:

No trabalho tenho uma colega que vive misturando ditados ou errando o final deles. O último foi “Água mole, pedra dura, tanto bate até que empura.” :doh: :hysterical:

Tô aqui me rachando de rir…

Lembrei também que já troquei muito ditado popular ou misturei-os.
Por exemplo: “Águas passadas não movem montanhas”

uma mistura de: Água passadas não movem um moinho" + “A fé move montanhas”.

Aliás, essa de misturar ditados ou de empregá-los numa situação que não tinha nada a ver com a história era um dos passatempos que eu e uma grande amiga, a melhor delas, fazíamos na adolescência. Tenho lembrança de ficar horas na casa dela rachando de rir com essa palhaçada. Até hoje, quando vou a Londrina, a gente se mata de rir com essas lembranças.

Haaaa, teve uma que foi hilária!!! Essa colega soltou: “De pão em pão a galinha enche o papo.”

Isso não é galinha. É avestruz!!! :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:

Bem Cristiano, vou dormir. Se lembrar de mais alguma posto amanhã.
Adorei as suas, meu amigo vai adorar também. É mais umas pra gente se matar de rir. A do albergue não tem preço.
Abração e boa noite.

Lembrei de outra:

Uma empresa de telefonia cobrou umas ligações interurbanas que meu vizinho não tinha feito. Ele ficou possesso. Depois de muita reclamação por e-mail, carta, telefone, depois de muita blasfemia coisa e tal, conseguiu reverter as cobranças. Num domingo de manhã ensolarado, encontrei ele e perguntei: “- E aí Seu Zé, conseguiu resolver aquele problema do telefone?”. Ele, com ar vitorioso, respondeu: “- Consegui sim, a empresa vai me
rechaçar
os débitos indevidos”. Pensei: “- Pra que tanta alegria então se a empresa não aceitou a alegação?” Sem entender, lhe desejei um bom dia e sai intrigada rumo a minha casa.

Nenhuma mais?


Tem também umas engraçadas de emprego de palavras erradas.
Rodrigo que nasceu numa cidade do interior com menos de 30 mil habitantes conta que o prefeito tinha um bordão e tudo que dizia completava sério com a seguinte indagação: “- Mas não é
bóvio
?”.

Não, e o dia que ele foi ler um discurso, escrito por um dos assessores.
No topo do texto estava escrito: “-Bom dia, boa tarde, boa noite” e entre parênteses "
(Conforme a ocasião)
".
Ele leu tudinho, em tom solene e professoral, bem assim: “- Meu povo de Prudentópolis, bom dia, boa tarde, boa noite conforme a ocasião”.

Gente, desde ontem eu tô com espírito de porco e hoje eu acordei com a macaca.

Acabaram de me mandar, por e-mail, a coluna do José Simão de hoje e não é que uma das histórias tem tudo a ver com essa aí em cima.

Então vai lá:

Adorei a declaração daquela ex-BBB: "A virgindade tá na cabeça, não no [u] [b]imã[/b] [/u]". IMÃ? E o hímen ela bota onde? Na porta da geladeira?

Hahaha “nóis sofre…”

:hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:


Aquela mesma colega do trabalho, uma vez precisou abrir o micro por se lá qual motivo. Ela vira pra gente e pergunta se temos a chave para desrosquear aqueles parafusos. Digo a ela para perguntar ao nosso chefe onde ele guardara a chave Philips. Alguns minutos depois vem ela e nosso chefe até minha mesa e ele pergunta: “Que diabos é essa chave que ela quer?” E ela completa: “É aquela chave Williams que você disse que estava com o nosso chefe.”

Meu chefe e eu nos esbaldamos de gargalhar… pobrezinha dela, não dá uma dentro. :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:

Haaa, tem aquelas todas atribuidas ao Vicente Mateus (ex-presidente do Curintia, isso mesmo, pra mim é Curintia):

“Peço aos corinthianos que compareçam às urnas para naufragar nossa chapa.”
“Quem está na chuva é para se queimar.”
“O difícil não é fácil.”
“Tive uma infantilidade muito triste.”
“Não veio o Falcão, mas comprei o Lero-lero.” (não seria Biro-biro?? :dizzy_face: :hysterical: )
“Quero mesblar jovens e velhos da diretoria.”

Olha só o que encontrei!!!

Muito hilário!!!

Morri de rir aqui agora…

Pô, essa sua colega de trabalho não dá uma dentro, mas deve ser divertido conviver com ela.

Essa traduz bem o espírito do nosso tópico. (Aliás, Cristiano, tópico este que só nós dois achamos graça) kkkkk

"Quando o jogo esta a mil, minha [u] [b]naftalina[/b] [/u] sobe." Jardel, ex-atacante do Vasco e Grêmio

Você conhece o
Groucho Marx
, ele é autor de frases muito boas também, um dos melhores. Eu quero assistir aos filmes dele, mas ainda não tive oportunidade.

Segue umas pérolas:

Essa é minha preferida:

Eu bebo para fazer as outras pessoas interessantes.
Há tantas coisas na vida mais importantes que o dinheiro. Mas, custam tanto.
Inteligência Militar é uma contradição em termos.
Acho que a televisão é muito educativa. Todas as vezes que alguém liga o aparelho, vou para a outra sala e leio um livro.
Estes são os meus princípios. Se você não gosta deles, eu tenho outros.
As noivas modernas preferem conservar os buquês e jogar seus maridos fora.
Não entro para clubes que me aceitam como sócio.
Eu nunca me esqueço de um rosto, mas, no seu caso, ficarei feliz em abrir uma exceção.
O matrimônio é a principal causa do divórcio.

Essa tem a ver com as
estrábicas
:

Eu corri atrás de uma garota por dois anos apenas para descobrir que os seus gostos eram exatamente como os meus: Nós dois éramos loucos por garotas.

Essa é meu guia para as relações humanas:

Eu não posso dizer que não discordo com você.
Eu pretendo viver para sempre, ou morrer tentando.
Do momento em que peguei seu livro até o que larguei, eu não consegui parar de rir. Um dia, eu pretendo lê-lo.
Inclua-me fora disso.

Pois é, essas do Groucho são demais!!! Tinha umas que eu já conhecia, mas sempre é ótimo rir de novo.

Tem mais uma :
" Eu gostaria de agradecer `a Antartica pelas caixas de Brahma que eles mandaram prá nós " :clap:

Tem a clássica :

" Não provoca que eu fico com o sistema nervoso ! "

e a de uma amiga minha :

" gente, acho que vou precisar levar meu primo na pepsicóloga"

Teve uma ao vivo na Globo. Olhem só: - YouTube

:hysterical: :hysterical: :hysterical: :hysterical:

Caraaaaambaaa !!! :eek: Será verdade mesmo?
Mas que é MUITO engraçado, é MEEESMOO !! :hysterical:

Acabei de abrir esse post, numa segunda feira de manhã… :hysterical: :hysterical: :hysterical:

A semana começou bem. :hysterical: :hysterical: :hysterical:

Ótimo isso Kika!

Prá acrescentar…

Outro dia, uma amiga da minha cunhada, estava lá em casa e começou a contar a história de duas empregadas que estavam dentro do ônibus discutindo qual era a a diferença entre “pobrema” e “poblema”.
Discutiram… discutiram e chegaram a seguinte conclusão:
“Pobrema”: é para “pobrema” pessoal, ou de cabeça.
“Poblema”: é para questões de matemática.

Pode? :eek: :eek:

hahaha

Tem coisa que só vendo pra crer. Zelda Merda kkkkk Os jornalistas da Globo são tão sisudos que não são capazes nem de demonstrar alguma reação frente a uma situação dessas.


Pepsicóloga
eu imagino que seja o psicólogo da Pepsi. Comentário idiota, tolerância 0.


Exclusive
, acho que essa diferença entre
pobrema
e
poblema
acho que vou passar a adotar. Por ando com um
pobremão
daqueles.