Complexo arquitetônico da Pampulha

Uma das regiões mais bonitas de Belo Horizonte é a região da Pampulha. A região é conhecida principalmente pelo seu conjunto arquitetônico, construído durante o governo de Juscelino Kubitschek, na década de 40, na orla da Lagoa da Pampulha. O conjunto é composto pela Igreja de São Francisco de Assis, a Casa de Baile, o Iate Tênis Clube e o Museu de Arte. Os edifícios foram projetados por Oscar Niemeyer, o paisagismo foi executado por Roberto Burle Marx e, na Igreja de São Francisco de Assis os painéis são de autoria de Cândido Portinari. Fasntástico. Só fera!!!

Fui lá hoje pela manhã fazer umas fotos para um cliente e queria mostrar algumas:

Na ordem em que aparecem, da esquerda pra direita:

  • Museu de Arte da Pampulha (1ª e 2ª)
  • Iate Tênis Clube
  • Igrejinha da Pampulha (São Francisco de Assis)
  • Garça
  • Igrejinha da Pampulha (As 3 últimas)

Algumas serão feitas plóters em Sépia pelo cliente para colocar nos vidros da fachada de uma de suas lojas que fica na região.

Comentários são bem vindos.
Abraços,

Beto, gostei das fotos, a primeira me deu a impressão de estar torta, mas acho que é só impressão. As fotos da Igreja estão fantásticas, na minha opinião

Valeu Alex, na primeira, me orientei pela estátua e o museu ao fundo ficou torto mesmo, pois está construído sobre um pequeno morro.

Beto… Gostei das fotos… em especial da 3ª e os da Igreja… fiquei curioso como seira la dentro… ja que fora é um espetáculo… parabéns… pelos registros…

Por dentro é linda também. Uma decoração simples, super moderna para uma igreja, com quadros de Portinari e pintura na parede do fundo do altar, do chão ao teto. A igreja, depois de construída, ficou fechada durante anos pois a igreja católica a achava uma “afronta”, pela construção tão moderna para a época.

Valeu pelos comentários.

Muito bonitas as fotos!!
Gostei muito da foto da garça!
O ângulo da última está ótimo!

Fotos excelentes!
Gostei demais do enquadramento e perspectiva das fotos da igreja.

Olá Pedro, obrigado. Enquanto estava fazendo as fotos da igreja, ví esta garça dando sopa e então fiz um clique. deu tempo só pra um porque ela voou em seguida.

Eduardo, orbigado também. A igrejinha da Pampulha permite uma infinidade de ângulos, enquadramentos e composições para fotos. Fica fácil. A obra por sí só convida você a fotografá-la.

Até,

Beto,

Tudo blz?

Ótimas fotos, belas composições!!! Seu cliente deve ter ficado mais que satisfeito com os resultados!!! :thmbup:

O conjunto arquitetônico da Pampulha é realmente mto bonito, e vale ser visitado!!! Mas, engraçado que eu morei em BH por 8 anos, e nunca entrei dentro da Igreja?? E olha que eu estudava ali do lado… Se vc sair da Escola de Veterinária da UFMG, e atravessar a rua, vc já está no estacionamento do Mineirão, ali do lado… hehehehehe…

abraços!! :thmbup:

Engraçado né Davi. As vezes a gente deixa de fazer coisas simples e nem se dá conta porque não o fazemos. Só conheci a igreja porque há 3 anos atrás trabalhava com Excursões Pedagógicas e levamos umas turmas para fazer um City Tour por BH. Além de conhecer a Igreja da Papmpulha e outros 1.000 pontos turísticos, um guia da Embratur foi explicando tudo sobre a história de BH, seus lugares, etc… Moramos em cidades e sequer conhecemos as histórias delas. Se não fosse por essas excursões, teria deixado de saber muita coisa sobre BH. É claro que a gente esquece muita coisa, mas muita coisa fica na memória.

Abraços,

Beto

Lindas as fotos da igreja.
è uma grande verdade, a gente não conhece direito a própria cidade, aqui em Recife tem lugares lindos que eu só conheci qdo fui acompanhar amigos que vieram fazer turismo.

Abs

Muito engraçado isso! “Santo de casa não faz milagre”. Queremos conhecer cidades, lugares diferentes e nos espantamos quando cohecemos lindos lugares bem debaixo de nossos narizes.

Obrigado pelo elogio.

Até,

Olá Beto!
Muito bacana esta seção. Curti bastante. E também curto muito o trabalho do Oscar.
As que mais gostei foram da Igrejinha da Pampulha.
Um abraço…

Valeu Murilo. Sem dúvida as que mais gostei também foram da igrejinha! Tive que rebolar pois a lente de menor milímetro minha é a 50mm, somando o crop de 1,6 do sensor. Foi um custo fazer as composições. Quase entrei dentro da lagoa, rsrsrsrsrsrs. Não veja a hora de comprar minha 28-70mm para retratos e books. Ainda dá pra aproveitá-la e fazer esse tipo de foto. depois da 28-70mm quero uma macro e só depois uma grande angular. Vou ter que ir quebrando o galho enquanto isso.

Abraços,

Beto;

Gostei do conjunto e gostei especialmente da segunda e da terceira.

A Capela de São Francisco de Assis é dificílima de ser fotografada, pois já o foi muito, e a fotografia dela deve, ao mesmo tempo, ter algum caráter de novidade e retratá-la. As formas parabólicas da abôbada são difíceis de serem traduzidas em fotografia, são formas que tridimensionalmente têm um valor diferente.

Abraços,
Ivan

Engraçado Ivan, vc foi o único que falou da terceira, que eu adorei também, apesar de não tê-la mencionado no post acima. É o Iate Tênis Clube. Adorei os reflexos e o contraste dos muros brancos com o verde circulante. A Segundo foi feita a partir de 2 fotos, no Photomerge do PS CS.

A Igrejinha é mesmo fantástica. Até para os dias de hoje ela assume papel de destaque na arquitetura geral, digamos assim. É o tipo de linhas e formas que adoro fotografar, e o Niemeyer fazia suas criações todas em cima desse lindo estilo de dar movimento ao concreto.

Mais uma então:

edifício Niemeyer, Praça da Liberdade, BH.