LOMOgrafia

E aí galera … tudo bem?

Seguinte, andei vendo e lendo pela internet assuntos relacionados à LOMOGRAFIA.

O que é exatamente isso ? Como funciona essas câmeras ? O que elas tem de diferente das convencionais ? O resultado é derivado da câmera, lente, filme, ou revelação ?

Quanto custa ?

Existe alguma possibilidade de eu simular LOMO com uma câmera digital ? (usando filtros, certamente) …

Desculpem as perguntas, como citei, ví bastante coisa … mas eram informações “picadas” … então, não cheguei a nenhuma conclusão.

Obrigado !!!

Abraços …

Eu não conheço isso, teria alguma foto de exemplo ou algum link para podermos olhasr também, pois fiquei na curiosidade, para saber o que é.

Lomografia é fotografia com câmeras TOSCAS ou com defeitos, uma câmera com o obturador travando e por ai vai, acaba virando meio que uma loteria a foto.
Tem formas de simular defeitos e etc, mas quer fazer lomografia, pegue uma camera com problema ou pegue um filme vencido a 10 anos, dá uma abrida na tampa do filme no sol e fecha rápido, o que sobrar vai ser lomografia.
Hehehe.
Na verdade não sei da onde saiu essa idéia pirada, mas tem um povo que gosta.

Nossa,

Em tempos de digitais, tem gente querendo fazer cada coisa!

Tanta coisa boa para fotografar…

Alguém com algum exemplo dessa maluquice pra gente passar bem longe?

Abraço,
Fernando

Exemplos? Tudo bem … abaixo vou listar alguns …

http://195.230.55.9/pix/a65d73c0f576eb/UL_101321_10883567643_l.jpg

http://195.230.55.9/pix/p300704/a65d73c0f576eb/UL_101321_11006155745_l.jpg

http://195.230.55.9/pix/p300704/a65d73c0f576eb/UL_101321_11071667682_l.jpg

http://195.230.55.9/pix/64309889f8354a8b/UL_10613302341_l.jpg

http://195.230.55.9/pix/64309889f8354a8b/UL_10613302342_l.jpg

http://195.230.55.9/pix/p300704/aeffa4d271d80403/UL_851596_11079782215_l.jpg

Percebam, que geralmente a LOMO puxa suas fotos para tons de verde e azul … lógico que isso não é padrão … Mas gostaria de saber como acontece isso … Porque e como sai essas cores? Depende do que?

Quando falo em tentar conseguir um efeito parecido na minha digital utilizando filtro (digitaltamente ou não), é com relação as cores … que pra mim, são fantásticas … únicas !!

Gostaria muito de aprender a fazer isso.

PERGUNTA ao Leo: Pra fazer lomo, preciso necessariamente da câmera LOMO (lca), ou posso adaptar com alguma câmera velha ? Existe algum processo ? Tenho uma câmera velha lá em casa, de filme … marca OLYMPIA, tem até sapata pra flash :huh: … posso adaptar pra uma lomo essa câmera ?

abraços …

ahhh … a minha olympia, é bem parecida com esse modelo DL 2000 que encontrei no Mercado Livre. Inclusive o Flash.

http://www.mercadolivre.com.br/org-img/preview/MLB/032005/25474082_6711.jpg

Recentemente achei uma bem parecida pra vender numa loja … tava custando R$30,00 senão me engano … :smiley: :smiley:

Sinceramente achei que valia mais. :blink: :stuck_out_tongue: :stuck_out_tongue:

Olha o conceito de lomo surgiu de câmeras com defeito ou péssima qualidade, como eu já disse acima.
No caso alguns fenômenos mostrados são vinhetas absurdas, oriundas de alguma falha do conjunto ótico.
As cores puxadas podem ser pelo simples uso de filmes para calibragens de cores diferentes, como usar negativo de fluorescente em luz do dia ou filme para tungstênio em luz do dia, e por ai vai.
Na verdade o conceito da Lomo é fotografar fazendo a coisa errada e com o pior artefato possível hehehhehehheh!

Não sei como surgiu ao certo, mas me parece um conceito de subverter um pouco a ordem.
Veja que a maioria é uso de mídia errada, equipamentos com problemas graves sejam defeitos, sejam construções toscas e erros forçados de fotometria.
O que é errado para um fotógrafo é divertido para a Lomo… :slight_smile:
Eu só de ver essa vinheta toda já entro em pânico.
Hehehheheheh!

Bacana …

Tá … então qualquer câmera pode trabalhar nesse estilo LOMO?

Porque existe então máquinas fotográficas LOMO? (LCA senão me engano) …

Pô, cheguei a ver câmeras LCA’s aqui no brasil, semi-novas custando algo em torno de 400, R$500,00 …

Porque tão caro, se é tudo tosqueira ? Sendo que aquela minha olympia, eu achei por R$30,00 numa lojinha … e olha que essa máquina nem é tão tosca, porque já tirei uns 2 rolos de filme com ela, e a qualidade é bem interessante. Nitidez e cor muito boa. :huh: :o Essa minha Olympia à que me refiro, é quase igual a essa foto de cima … inclusive o Flash acho que é o mesmo … mas a minha a cor é champagnet …

Não entendi agora !!! :blink:

Olha o conceito nasceu de câmeras velhas, o qeu acontece é que os caras estão aproveitando a onda para vender câmeras com problemas semelhantes.
Quer criar problemas semelhantes?
Taca 4 filtros UV em cima de uma lente vc vai ver começar a aparecer vinheta, a imagem ficar estranha e por ai vai.
O que eles fazem é fabricar uma câmera com vinheta e cobrar caro por ela.
O que é ridículo, fazer uma ótica dessas é medíocre e os caras ganham $$$$ ainda.

a questao é q a lomo tem mo fama nesse treco

eh como por exemplo, se vc gosta de calça de marca, compra uma baratinha e rasga ela toda, enqto uma calça de marca rasgada vai te custar o olho da cara, pq calça rasgada tá na moda…

cada coisa… :slight_smile:
O puxão da cor para o azul pode ser filme velho, meus conhecimentos de fisica dizem que como o azul e mais energético que o vermelho, o azul vai mais facilmente sensibilisar o filme velho.

A equivalencia digital disso não seria usar cameras como a aipitek, brasecam, cam de celular, camera que sobreu algum assidente e deve a optica ou a eletrônica prejudicada, etc…

Ta ai uma ultlidade para as Sonys Px que caem no chão. :slight_smile:

Discordo do Leo.

Lomografia é um conceito derivado do uso de um tipo de câmera, as Lomo, soviéticas. Essas câmeras aão de construção simples, foco fixo, mas têm certas características interessantes relacionadas com a saturação produzida pela lente e com a simplicidade de manuseio.

É preciso entender que qualidade é coisa relativa à finalidade. Um navio tem a qualidade de boiar. Um carro de rodar. Cada um tem uma qualidade.

Por que a Lomo se tornou cult? Bem, a primeira razão é pelo excesso de imagens de estética clichê que existem hoje em dia. Todos os dias vemos imagens que são muito bem feitas, mas que esquecemos no minuto seguinte, pois apenas repetem estilos e modelos visuais extremamente batidos. Todo o cuidado, toda a técnica, toda a ótica, e o resultado fica irrelevante. Não é feio, não é mal feito, é simplesmente uma palha a mais no palheiro cultural, que não se distingue das outras. Peguem, por exemplo, uma foto de pôr-do-sol. Quantas já foram vistas? Centenas. Alguma surpreende? A mim não. São todas a repetição do mesmo truque simples -fotometrar o céu- realizadas por uma multidão. São a celebração da beleza óbvia, da beleza reduzida a clichê. Posso gostar de algumas -às vezes gosto- mas é um gostar sem paixão, sem que a foto me instigue, sem que ela me faça ter vontade nem de vê-la novamente nem por muito tempo.

Aí se pode dizer que essa estética, de cunho muito ligado à idealização da vida praticada pela publicidade, saturou. Alguns não a aguentam mais e acham que qualquer coisa é melhor que isso para oferecer aos seus sentidos novidade. A Lomo então oferece um limite de perfeição (é altamente imperfeita), de modo que abre a porta para um experimentalismo que só pode ser plenamente praticado se não for levado muito a sério. A lomo quebra o clichê da boa fotografia e faz com que a pergunta´mais importante seja feita novamente: o que faz de uma foto algo realmente significativo e não somente uma peça publicitária?

A Lomo oferede o erro, e só o erro salva da mesmice (ou a verdadeira arte, mas aí já é mais complicado). Usando a Lomo e aceitando suas limitações, e ainda tirando partido delas, o fotógrafo afasta-se da eterna e cansativa repetição de modelos.

Ivan

Lincon,

Achei muito boas as fotos de exemplo!

Acredito não ser muito fácil fazer algo deste tipo com uma digital comum a não ser que ela tenha dificuldades para fazer determinado tipo de fotografia.

Té+

Melão

Bom, acredito que tanto a expicação do Leo como a do Ivan estão certas!
Antes de tudo não nos esqueçamos que certas definições tomam mais de um significado. A explicação do Ivan acredito ser a do sentido inicial, quando surgiu. Depois ela tomou forma e ampliou-se o significado (explicação do Leo).
Da explicação do Leo: tinha uma câmera que fazia isso (Zenith) muito bem! Tava toda bichada! rsrsrsrsrsrs. Ainda mais com uns cromo-slides que tinha (com mais de anos depois da validade).
Da explicação do Ivan: Talvez seja o que busco (em termos) na fotografia. Não a foto tosca, com erros, mas o caráter artístico, diferente. E isso acredito ser difícil, muito difícil! Mas não impossível!

Abraços,

Roberto:

Muitas vezes eu mostro fotos na rede que sei serem pouco mais do que o gancho de uma idéia. Explico. Às vezes olho uma foto minha e lá, no meio de algo que não parece interessante, vejo uma coisa interessante. Por exemplo. Tenho uma obsessão ligada à estética do que é dito feio. As periferias das grandes cidades do Sudeste, por exemplo, com suas casas de laje e janelas de ferro ou alumínio, a grande maioria sem emboço. Olhamos para elas e elas parecem feias. Será que um arqueólogo ao olhá-las as acharia feias? Ou quem as acha feias é nosso gosto condicionado pelos nossos valores de classe? Aí fico tentado a fotografá-las para através da fotografia descondicionar meu olhar. Fotografo contextos feios procurando compor, procurando as texturas. A grande maioria das fotos não fica bonita, mas lá no meio delas vislumbro um acerto, uma meneira de ver, um passo em direção da descoberta da beleza oculta. Esse passo eu preciso mostrar e ponho na rede. As pessoas estranham, mas eu preciso mostrar para que eu mesmo o veja, pois há em nós dois: o que coloca na rede e o que olha o colocado, e nessa troca de papéis nossa própria obra se revela para nós e conseguimos decodificar o quanto chegamos perto do desejado. Não tenho vergonha de mostrar esses “esboços”. Teria vergonha se me faltasse coragem para fazê-lo, se eu quisesse todo o tempo mostrar fotos bonitinhas e agradáveis. Não tenho medo do erro, pois se eu não for amigo dele ele não trará junto a liberdade.

Essas tentativas, tempos depois, amadurecida a idéia e o olhar, frutificam noutra série. Às vezes ainda insuficiente. Depois frutificam noutra, e noutra, até que num momento sinto que fiz algo de interessante e distante do normal. Uma série de fotos com umas dez fotos coerentes me custa de cinco a 20 seções de fotos, cada qual realizada sobre a meditação da anterior. Quando persigo uma série começo longe da tentativa de acerto. Procuro fazer o que não fazia. A própria série vai me mostrando, me ensinando. Se tentasse acertar logo eu somente faria o já sabido, somente me repetiria. Repetir-se é uma sina, todos somos prisioneiros de nós mesmos, mas cada liberdade conquistada vale muito.

Os meios? Bem, mudar de meio liberta também, e a Lomo é isso, tanto para quem a usa quanto como experiência social de imagem, pois cria uma alternativa ao belo-banal.

Ivan

Bom Ivan, pelo que entendi vc discordou de mim com relação ao meu gosto pela Lomografia?
Bom ai não posso discutir, gosto é gosto, eu ainda sou mais um Raphael e um davince que um Dali, mas isso é questão de gosto pessoal pela arte, admiro certos tipos de arte mais do que outros, tenho o direito de considerar de mal gosto qualquer tipo de arte que vá contra minhas vertentes, não que eu seja contra, mas considero mal gosto, isso é um direito de cada um sobre sua visão artística :slight_smile:

eu por exemplo trabalho com fotografia de Glamour, trabalho de forma muito diferente de outros artístas, não os clono, faço o que acho belo, eu gosto do belo e do perfeito, como da Vince por exemplo, é a minha visão da minha arte que é a fotografia, o belo e o luxo, não é repetição do obvio, todo tipo de arte tem seu representante, sempre houveram pessoas que fotografaram com pinholes, com câmeras tocas, existe opção e espaço para todos, a arte é democrática, mesmo porque é a expressão de uma visão individual, que pode agradar ou não ao coletivo.
:wink:

Não Leo, não discordei de você quanto ás suas preferências artísticas, ou melhor, às suas preferências estéticas. Discordo somente de qualificar o que está fora das suas preferências de mal feito e de achar que lomografia é mera avacalhação.

Todos temos nossas preferências, é claro, mas não quer dizer ser o restante ruim. Veja. Eu em geral não gosto de arte figurativo/realista, gostando mais de tudo o que vem do Cubismo para cá com exeção do Dali de quem não gosto, considerando mais ilustrador que pintor. Porém compreendo a arte figurativa/realista, e algumas obra eu aprecio verdadeiramente, embora se puder escolher para ter na parede não seria daquele tipo. (sobre o Dali, quando estudava arquitetura lá pelos idos dos 70s, eu gostava muito dele e não compreendia o Picasso. Um dia fui a uma exposição do acervo do MAM aqui do Rio, antes do incêndio, e lá estavam dois quadros mais ou menos do mesmo tamanho, um do Dali e outro do Picasso. Nunca mais olhei um quadro do Dali com interesse, e torne-me fanático pelo Picasso tendo visto muitas e muitas obras dele sem nunca ter me decepcionado com elas, ao contrário, cada uma é uma maravilha).

O Dali não passava de uma idéia bem executada, o Picasso rugia. É isso que faz a diferença, na minha opinião. Por isso, quando quero me nutrir, abro o site da Magnum e começo a ver os fotógrafos de lá. Quero arte. Quero o que ruge.

Por isso gosto dos Lomógrafos. Têm coragem, são desprendidos, têm uma crença, são uma tribo, dizem não á estetica normal. Isso é bom, mesmo que a maioria das fotos não seja (aliás, a maioria das fotos de qualquer tipo não é boa mesmo, não só as feitas com Lomo).

Não Leo, não discordei de você quanto ás suas preferências artísticas, ou melhor, às suas preferências estéticas. Discordo somente de qualificar o que está fora das suas preferências de mal feito e de achar que lomografia é mera avacalhação.
Mas Ivan eu não disse isso, muito pelo contrário, fui até reler meus posts para confirmar que não teria cometido essa barbaridade...

Disse sim que a Lomografia era feita com câmeras tocas e com defeitos, o que é a realiadade, faz parte do conceito de lomografia, como pode ser ocntatado nos seguintes pontos de meus posts:

Lomografia é fotografia com câmeras TOSCAS ou com defeitos, uma câmera com o obturador travando e por ai vai, acaba virando meio que uma loteria a foto.
Olha o conceito de lomo surgiu de câmeras com defeito ou péssima qualidade, como eu já disse acima.
Na verdade o conceito da Lomo é fotografar fazendo a coisa errada e com o pior artefato possível hehehhehehheh!

Ainda complementando logo na sequencia deste último ponto eu já coloquei:

Não sei como surgiu ao certo, mas me parece um conceito de subverter um pouco a ordem.
Então não disse que era avacalhação, mesmo porque existe um objetivo de subversão da ordem, ou seja exatamente o que vc disse, subverter a ordem usando coisas que nenhum fotógrafo usaria, o que é uma idéia completamente pirada, mas não usei nenhum termo pejorativo, muito pelo contrário expliquei o que era e respeitei o cenceito ao afirmar que se tratava de uma forma de subverção e não avacalhação que é bem diferente.

Logo em seguida ainda portei:

O que é errado para um fotógrafo é divertido para a Lomo...
. Ou seja nada de avacalhação e sim uma forma de expressão, como como eu cito ela pode ser errada para o fotógrafo mas na forma de expressão da Lomo ela é divertida.

Ainda brinco com minha visão em seguida:

Eu só de ver essa vinheta toda já entro em pânico. Hehehheheheh!
Comentário puramente pessoal, como eu tbm entro em pânico ao vr um Dali. :/

O único comentário crítico que faço em todos os meus posts deste tópico é com relação aos fabricantes que vendem caro uma câmera que é contruída com elementos e material de péssima qualidade e que poderia ser vendida a custos bem inferiores e que podem ser simuladas sem a menor dificuldade em outros equipamentos (tenho amigos que danificavam a cortina de uma câmera barata para fazer lomo).

Veja a sitação a qual me refiro:

O que é ridículo, fazer uma ótica dessas é medíocre e os caras ganham $$$$ ainda.

Em momento algum me referi a Lomografia como mal feita ou avacalhação e sim como subverter uma ordem contrariando o que os fotógrafos julgam certo, me desculpe se me fiz entender errado, mas quando li este seu último post fui até revisar os meus para ver se tinha feito realmente isso, pois em momento algum foi minha intenção, apenas afirmei que a Lomografia era feita dentro de erros (tanto de operação como de equipamento) dentro do que é conceitualmente correto na fotografia, o que não é nenhuma mentira.

Ivan,
Não entendi direito a explicação de Lomo no seu post! Só depois, lendo com calma. Pelo seguinte: quando disse:
“Talvez seja o que busco (em termos) na fotografia. Não a foto tosca, com erros, mas o caráter artístico, diferente…”
não me referi aos “erros” ou “fotos toscas” da Lomofotografia, porque acredito que a Lomo seja uma técnica de fotografia interessante! É difícil passar para o papel (ou post da comunidade. rsrsrs) o que com exatidão eu penso. (morreria de fome como escritor, rsrsrs). Não me retrato com vc por mero puxa-saquismo ou coisa parecida! Simplesmente porque vejo 2 faces na fotografia: a comercial, que gosto muito e que quero ganhar dinheiro com ela e a 2a.: A arte, que pra mim é a mais tocante. É vc ver um ambiente caótico e conseguir fazer uma foto linda, por exemplo. Aprecio muito a foto abstrata, fora dos padrões, fora dos clichês. Aprecio vários estilos da foto como arte! Os retratos por exemplo, que pra mim são os mais difíceis! Como os do Sebastião Salgado! Também, como vc, busco o diferente, o fora dos padrões! Mas também gosto do certinho! rsrsrsr

Abraços,

Tava imaginando a etimologia da palavra lomografia.
Depois que o Ivan disse se tratar de uma marca russa, fui atraz…

O efeito vinheta pode ser devido ao uso de uma camea pinhole.