Panasonic e olympus

Ai pessoal, para quem ainda tinha dúvidas sobre os planos da Panasonic tá ai o anúncio que eu já esperava que acotneceria desde que a panasonic entrou para o consórcio 4/3.

:slight_smile:

Dates announced for Matsushita and Olympus D-SLR

Para quem esperou finalmente a Panasonic vai entrar para o ramo das DSLR com uma outra parceria de peso, imaginem o tanto de tecnologia agregada por sistemas construídos pelo consórcio formado por Leica, Olympus e Matsushita :wink:
Eu TENHO MEDO DA PANASONIC hehehehheeh!

Léo, eu confesso que me agradaria muito essa tecnologia. Essa semana estava editando um album e o bendito corte 3/2 da 300D é dose! Cara, eu costumo fazer impressoes 20x25 e 25x30. Não é fácil não. Em várias fotos o crop sacrifica um pedaço da foto!

Agora é esperar PMA 2006 e ver o que vem por aí…

Panasonic + Leica + 4/3 + parceria Olympus…

Hummm… Aí vem chumbo grosso!

Bolsos, preparem-se! :slight_smile:

Abraço,
Fernando

Fernando e Leo.

Eu li o texto do dpreview, mas em nenhum momento ele fala da Leica. Engraçado, não é? Vejam, se a Leica não aderir ao Four Thirds o que teremos de verdade é um corpo Panasonic capaz de receber lentes Olympus. Isso significando uma abertura de corpos DSLE para a Panasonic e uma posição extraordinária da Olympus de virtualmente única fornecedora de ótica específica.

Evidentemente, se a leica estiver nessa será maravilhoso.

Quanto ao comentário do fernando, achei fantástico. Uma das queixas dos fotógrafos em geral é com o formato 3:4 das digitais, acostumados como 2:3, e a queixa do Fernando é exatamente inversa!

De minha parte, às vezes prefiro um, às vezes outro, dependendo do assunto. O formato 2:3 tem a vantagem do quadrado formado pelo lado menor coincidir com o terço da imagem, permitindo uma composição muito forte quando se usa o terço. O outro tem a vantagem da altura que é ótima para alguns assuntos.

De modo geral, quanto mais próximo do quadrado, mais o formato aproveita a lente. Eu mesmo não me importaria em absoluto com um formato quadrado mesmo, como no médio formato, que permitiria, com sensores da mesma densidade algo como como 12mp (um sensor com densidade e largura dos atuais 8mp mas quadrado)

Ivan a Leica tem um contrato com a Panasonic até 2010 para uma parceria de produção, onde ela fornece TODOS os projetos de corpo e lentes da Panasonic nesse período e a Panasonic fornece TODOS os projetos eletrônicos, sendo qeu inclusive a fábrica construída para produzir as câmeras digitais de ambas é a mesma, dentro de uma unidade da matsushita, onde encontra-se inclusive uma unidade de produção de objetivas. :slight_smile:
Pelo menos até 2010 em tudo que a matsushita estiver no ramo de fotografia a Leica tbm terá que estar. :slight_smile: Veja que nem a marca Panasonic foi citada no Dpreview, foi usado o nome do conglomerado (A Matsushita conta com uma centena de marcas), mas é quase certo que esta câmera deverá sair com a marca Panasonic, achei até estranho eles anunciarem isso com tanta antecedência, eu achei que eles fossem dar um susto no mercado :slight_smile:

O mais interessante disso tudo é uma previsão que existe para uma Fuji S4 no meio do ano que vem, construída dentro de um corpo FUJI… Será que teremos uma Fuji 4/3??? Existe essapossibilidade tbm.

Ô Leo, essa idéia de criar uma ótica capaz de ser usada em qualquer corpo quebra a dominação da Canon. A grande queixa de quem usa Canon é a incompatibilidade pregressa e a ótica específica, e se você puder ter um corpo Fuji, objetivas Leica ou Olympus e tudo funcionar a contento, não dá para ser melhor -risos.

Vamos esperar… A notícia é ótima.

Eu acho isso Ivan porque a Fuji é parte do consórcio a 2 anos e ainda não produziu nada nesse sentido, convenhamos que não faz o menor sentido investir em um consórcio desse porte se não for para produzir câmeras e os boatos (note que são boatos) dão conta que a S4 virá com corpo próprio da Fuji (Não mais Nikon) por isso até acredito na possibilidade, a única coisa ruim é que isso forçaria os usuários de Fuji a Trocar suas lentes, ai tem que ver como o MKT da Fuji vai encarar isso, mas acho que forçar este tipo de migração pode ser uma ótima idéia.
Imagine que coisa ótima vc ao trocar de câmera poder escolher entre Fuji, Panasonic e Olympus (e quem sabe até Kodak que já faz parte do consórcio tbm).
Opções de lentes que iriam desde as humildes Fujinon e Kodak até as poderosas Oly e Leica, acho que teriamos uma boa gama de equipamentos todos com tecnologia compatível entre si, possibilitando escolhas muito mais consistentes e migrações bem mais simples, eu realmente gosto muito da idéia. :slight_smile:

Leo, outro fator na análise de vcs que fica interessante é que obrigatoriamente os custos para o consumidor final ficam mais baixos, pois não se prendendo uma única marca, a disputa pelo mercado de lentes será mais acirrada, ai cada um vai poder escolher o que melhor lhe servir de acordo com o bolso de cada um

Eu acho que o mercado é sempre muito valorizado por parcerias deste tipo. Na área de técnologia de informática a convergencia de padrões e sempre muito produtiva. A realidade porem e que tecnologias de ponta Canon e Nikon não vão entrar nessa, senão elas mesmas sabem que perdem mercado com isso (terão que baratear suas lentes e equipamentos). Acredito que a qualidade pode ser um fator ponderante para que Canon e Nikon melhorem a qualidade e dominuam os preços.

Abraço,
Fernando

Mas é exatamente isso, Fernando.

A Canon lidera o mercado com ampla folga, de modo que para ela a melhor opção é estabalecer padrões proprietários. Como já tem os clientes, ela com isso amarra o pé deles e os fideliza.

A Nikon quase isso, meno um pouco devido à compatibilidade pregressa que consegue manter (já aí dá algo ao consumidor em compensação pela vice-liderança)

De modo que aos outros interessa quebrar essa situação, e por isso aceitam trabalhar em grupo, ainda que isso reduza sua lucratividade pontencial.

Ivan

Ivan, essa aparente queda de lucratividade na verdade pode gerar é um lucro maior, pq com mais empresas investindo, provavelmente clientes das marcas mais famosas vão acabar migrando pra que oferecer uma relação melhor de custos e benefícios, as opções de escolha crescerão muito…
quem mais perde com isso seriam Nikon e Canon

Globalmente a lucratividade diminui com a concorrência, ensinou-nos o velho Marx. Isso inevitável, exceto nos modelos monopolistas ou cartelizados como quase é o caso das câmeras DSLRs. Trata-se simplesmente da tentativa de quebra de um quase monopólio.

O consolo é que, se eles criam um consórcio que favorece o consumidor, isso força o mercado de equipamentos proprietários a melhorar a qualidade e fornecer produtos mais baratos para poder conter o avanço dos outros.

Meu desejo é que esse consorcio venha para desbancar essa liderança imposta pela falta de convergência.

Como capitalista que somos, sempre fui adepto da concorrencia. Essa é a forma de não nos mantermos escravos das carissimas tecnologias proprietarias e dominantes no mercado.

Espero apenas que esses equipamentos possam concorrem em qualidade e durabilidade. Acho que isso que torna a Canon tão forte. É ter lentes (por ex.) de excelente qualidade na construção e otica, que torna mesmo as concorrentes universais, uma segunda opção.

Abraço,
Fernando

A história já mostrou que sempre que criamos um padrão tecnológico aberto e adotado por grandes empresas ele acaba por ganhar terreno mesmo sobre tecnologias superiores e restritas.
Exemplos são o Mac, o Betamax, o SCSI, dentre outros.
O padrão aberto adotado por empresas dominantes (como a Kodak e a Fuji) tende a produzir resultados interessantes no mercado e mesmo as gigantes acabarão tendo que sucumbir ao formato.

Para isso só é necessário que a adoção do padrão seja feita com bastante critério (para que a compatibilidade realemente exista).

Lembrem-se que a Lider norte americana no mercado de câmeras digitais é a Kodak, seguida da Sony e no Japão é a Sony seguida da Fuji, ou seja, nos dois maiores mercados do mundo o domínio nesta área não pertence a nenhuma das 4 clássicas (Oly, Canon, Nikon e Minolta), sendo que inclusive na Europa o domínio de câmeras digitais é Sony seguida por Minolta.

Acredito que o padrão 4:3 veio para ficar, principalmente se for realmente adotado por Fuji e Kodak. Ai acredito que as antigas clássicas terão muito trabalho mesmo nas DSLR, que é um ramo onde elas vinha acomodadas sem interferências a um bom tempo.

Eu acredito que o fato dos formatos de impressão semi-profissionais e profissionais (20x25 / 25x30 / 30x40) terem mudado, essas inovações iriam se favorecer disso, principalmente por evitar o fator de corte. Claro que todos querem o melhor aproveitamento de seus conjuntos, sensores, lentes, etc.

Como vc mesmo disse Léo, o novo formato vai sacudir a estagnada tecnologia existente nas SLRs hoje.

Abraço,
Fernando

B) Bem Leo eu gostaria que vc explicasse de forma resumida (se der) como funciona a tecnologia do sensor 4/3, pois vimos os fabricantes de CCD e CMOS tendo que aumentar o tamanho para o de filme para obter melhor qualidade, e o 4/3 é bem pequeno. Mas como o barco está indo nesse rumo, indica que é uma tecnologia bem mais avançada, com um grande potencial de melhorias no futuro, sem precisar aumentar o tamanho do sensor.
Bye

A tecnologia é a full frame da Kodak onde os photodiodos ocupam toda a superfície do CCD, o CCD é um pouco menor que um APS, mas os fotodiodos são muito maiores, pois no sensor convencional os fotodiodos dividem espaço com trilhas e outros componentes na superfície do sensor. :wink:

B) Leo vc já imaginou como seria uma camera com um sensor destes mas no tamanho full frame(35mm) já que o espaço é melhor aproveitado? Como vc estima o desempenho dela, se existisse, e pq não foi feita ainda?
Bye

Só fico em dúvida para o usuário médio que não é profissional, mas tem interesse em fotografia como fica. P. ex., a Olympus E-300 tá numa ótima promoção na BH com duas lentes do kit, e duas boas lentes, por U$899 ou 999, n tenho certeza.

Porém se for analisar o preço das lentes do kit, ou mesmo uma tele 4/3, elas custam as mais em conta U$250 e as teles todas acima de U$1000, algumas de U$4000.

Já existem algumas Sigma 4/3, porém só grande-angular, se surgirem novas e com qualidade, tudo bem.

Mas como fica se o cara que comprar essas Panasonic’s tiver de usar uma tele de U$4000? Eu que me amarro em foto de vida selvagem e surf já me senti excluido da brincadeira.

Gustavo:

Tem uma lente sigma que vai até 200mm para o sistema. Custa 199 dólares. Lembre-se que o 4/3 tem fator multiplicador 2, de modo que uma 200mm funciona como uma 400mm, coisa prá caramba.

Pode não ser uma grande lente, mas parece atender ao que voc~e precisa.

Ivan, mt legal esse teu comentário, mas tem duas coisas.

Uma, como falamos em outro tópico, ainda estou mt satisfeito com minha FZ15, e eu récem estou começando em fotografia. Acho que eu já fotografava há mt tempo sem saber (dizem que o que conta é o olho e não equipamento) e mesmo com a câmera barata que eu tinha o resultado me surpreende ainda hj, então, com essa Panasonic atual tem tanto p render ainda. Eu comecei a estudar p falar há verdade tem um ano. Sem falar que apesar de não ter o RAW (que ainda quero aprender a usar) de resto as FZ oferecem recursos mt porradas falando coloquialmente, quer dizer, se passar para uma DSLR algum dia, eu vou estar mt habituado com esses recursos, a FZ tem controle fino do WB, apesar de não ter RAW, tem controle de CTR, SAT, SHARP e NOISE e apesar do processamento inevitável da cam, tenho fotografado com todos controles no mínimo e procuro fazer eu mesmo no Photoshop o que faltou. Até a compensação de flash é baseada na potência do flash e não apenas via câmera. A segunda é que (e isso n tenho certeza) lendo alguns artigos sobre a questão do frame e multiplicação focal, um amigo levantava a lebre de até que ponto vc transforma uma 200mm numa 400mm (no caso de 2X) ou se isso seria na verdade mais um crop, resumindo, isso não compromete a qualidade?! Eu já sei que na questão da profundidade de campo n muda, ela se comporta como se fosse 200mm, mas isso não é o importante, se não perde a qualidade como se fosse um simples crop, aí realmente é uma maravilha. É algo que eu já pensava fazer se adquirisse uma D70 que tem 1.5 no fator de multiplicação.